Novo livro sobre Aristides de Sousa Mendes

AristidesSMendes1Por: José d’Encarnação

 

 

 

 

Não admira que continue a ser fonte de inspiração a gesta heróica de Aristides de Sousa Mendes, o cônsul português de Bordéus que logrou enfrentar as ordens de Salazar e salvou milhares de judeus, em 1940.

Foi apresentado ontem, dia 20, em Paris, mais uma obra sobre esta emblemática figura de diplomata: chama-se Le Cônsul, é da autoria de Salim Bachi e tem edição da Gallimard – informa o Lusojornal ( www.lusojornal.com ), na pág. 4 da sua edição de hoje, recorte que se anexa.

Recorde-se que, entre nós, o interesse romanceado – digamos assim – pela vida do cônsul começou com a Dra. Júlia Nery, escritora que reside em Cascais e que publicou, em 1991, o romance intitulado precisamente O Cônsul¸ que viria a ter tradução em francês, da autoria da tradutora de Miguel Torga, Claire Cayron, com o título La Résolution de Bordeaux (1993).

Mais recentemente, a escritora Teresa Mascarenhas voltou ao tema, com o romance Aristides de Sousa Mendes. Trinta Mil Vidas Humanas, que tive a honra de apresentar, há dois anos, precisamente a 15 de Janeiro de 2013, no Museu Nacional de Arqueologia, em Belém (Lisboa), com a presença de um dos netos do cônsul.

Que o novo livro possa chamar a atenção para o invulgar legado humano de Aristides de Sousa Mendes e contribuir para que as instituições competentes comecem a zelar mais pela sua memória, atitude consubstanciável, por exemplo, no apoio à Fundação que tem o seu nome e que procura manter de pé a sua casa,a Casa do Passal, em Cabanas de Viriato, e transformá-la em mui digno lugar de memória.

 

 

 

cyberjornal, 22 Janeiro 2015

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!