Abraço gigantesco no Boa Nova

refado 2

Por: José d’Encarnação

 

Decorreu com o maior brilhantismo o espectáculo, que, subordinado ao título RƎFADO, se concretizou no passado dia 28 no Auditório da boa Nova (Galiza – Estoril), cuja receita reverteu para o Apoio Local da Refood Cascais.

 

 

 

 

 

 

(No final, os voluntários de Cascais subiram ao palco)

refado 3

Esgotaram os lugares e – pasme-se! – o fado teve, ali, um sabor autêntico, nem sequer nos apercebemos de que estávamos num auditório enorme, até porque os artistas, todos familiares à zona, souberam criar um ambiente tão acolhedor como o de uma verdadeira casa de fado!

Apresentou Manuela de Sousa Rama, que foi dizendo o repertório que cada um ia cantar, mas os próprios artistas o referiam também, salientando todos quanto lhes era grato estarem a colaborar com esta iniciativa. Cantaram: Ana Lains, Gonçalo CastelBranco, Maria João Quadros, Miguel Capucho, Pedro Junot, Rodrigo Costa Félix e Tânia Oleiro, acompanhados por três músicos de enorme virtuosismo: Luís Roquette, à viola, Diogo Quadros e Bernardo Romão, ambos na guitarra portuguesa, que nos brindaram não apenas na excelência do acompanhamento como em duas guitarradas eximiamente executadas. De permeio, o Grupo de Dança Arte Move, também de Cascais, presenteou-nos, sob direcção de Paula Careto, com bailados de apurada coreografia, bem bonitos de se ver.

(Hunter Halder aplaudiu, feliz)

refado 1Esteve presente Hunter Halder, o "estrangeiro maluco", natural da Virgínia (Estados Unidos), que, tendo participado numa peregrinação a Fátima, há mais de 30 anos, se apaixonou pela guia turística, portuguesa, com quem acabaria por casar, anos mais tarde. Apercebeu-se, um dia, que muita comida em boas condições se deitava fora nos hotéis e nos restaurantes, porque era proibido aproveitá-la ou não havia sequer condições para isso. Portanto, em 2011, montado numa bicicleta, cheia de cestas à frente e atrás, Hunter Halder começou a distribuir por famílias carenciadas de uma freguesia lisboeta as sobras de alimentos que recolhia em restaurantes. Assim nasceu o projecto Refood, que se espalhou pelo País e conta hoje com mais de 4000 voluntários e dá apoio a 3000 pessoas.

Esteve presente e foi ao palco. Sexagenário, falou entusiasmado do que se conseguira obter e perguntou à assistência o que era mais importante. Conclusão: as pessoas! Por isso, pediu que todos se levantassem e abraçassem os vizinhos do lado, numa prova de carinho pela Pessoa, que é, na verdade, o mais importante – e é para dar maior bem-estar às pessoas que o projecto Refood existe. E um abraço enorme encheu o Boa Nova!

Saímos, pois, do auditório muito mais humanos, muito mais pessoas, confortados também por uma bem agradável noite de fado, onde nem demos por o tempo passar!

A Refood Cascais funciona no Bairro Marechal Carmona, Rua João António Gaspar 45. Pode ser contactado através do telefone: 938 408 919. A coordenadora do apoio local – e sua grande dinamizadora – é Maria Teresa Pedrosa, que merece todo o aplauso pelo êxito alcançado.   

cyberjornal, 7 fevereiro 2017

Para inserir um comentário você precisa estar cadastrado!